segunda-feira, 21 de novembro de 2011

O Céu pelo Avesso


Foi longo tempo nessa terra
Que se passou diante as trevas
Já não havia mais o dia
Só uma luz radioativa
Que incendiava nossas almas
Numa pulsante dor macabra
Ao se apagar, foi despertar
Os anjos caídos atirados ao abismo
E na sede do teu ódio
Levantaram-se os inimigos
É Guerra Santa...
E quem virá nos salvar
Se eu pudesse ver
O que há do outro lado
Se eu pudesse tocar
O que não conheço
Se eu pudesse voar
Pelo espaço
Se eu pudesse tocar
O céu pelo avesso...
E nasce como dor pulsante
A nossa sede pelo sangue
As sete velas se apagaram
Foi pelo sopro do pecado
Anjos de luz e anjos negros
Se enfrentavam no deserto
O nosso tempo terminara
Ao se quebrar a última espada
E renasceu um novo tempo
E passaram anos
E completaram milênios
Homens se julgam sábios
Deixaram o céu pelo avesso
É Guerra Santa...
E quem virá nos salvar
† Ilusões †
Ilusões
Se tornam realidade?
Se tornam nesse mundo
Em que não falta maldade?
Somos vitimas da história
No passado e no presente
Escravização e guerra
Em um mundo com tanta gente
Pessoas presas à religião
Um mundo inteiro com ilusão
Pessoas presas à fome
Esperando chegar à morte
Pessoas com tristeza
Ódio e dor no coração
Se é possível ter coração
Em um mundo de ficção
Pessoas presas à lei
Que causam corrupção
Pessoas presas à desigualdade
Que só criam ilusão
Essas palavras têm variáveis
Que pelos homens se torna uma ação
Que designam no nosso mundo
Ou é só uma outra ilusão?
Essa palavra, ilusão
† POESIA GÓTICA †
Ó saudade sentimento das trevas!
Angustia minha vida
E toma as palavras que surgem...
De onde vem este sentimento maligno?!
Para onde vai este aperto no coraçao?!
Só o tempo dirá...
Por um curto instante
A alegria invade minha alma
Com lembranças dos bons momentos
Que pena...
Foi apenas um instante
Um mízero instante que não sse compara
À dor que me toma!
Que mundo cruel é este?!
Este mundo que separam os que amam...
Este mundo que muitas vezes
Aproxima os que se odeiam.
Por este motivo,
Eu profundamente te odeio,
Quem sabe assim essa vida nos une...